0

Bom Senso apoia WO na Série D e se diz atento a represálias

15 ago 2014
23h18
atualizado em 16/8/2014 às 11h16
  • separator
  • comentários

Os representantes do movimento Bom Senso FC não demoraram para se manifestar sobre o caso do Grêmio Barueri, que desistiu de enfrentar o Operário-MT, na noite desta sexta-feira, em partida válida pela quinta rodada do Campeonato Brasileiro da Série D. Por causa de salários atrasados, os jogadores não entraram em campo e cederam a vitória por 3 a 0 aos visitantes.

Jogadores do Operário se deitaram no gramado em apoio ao protesto do Barueri
Jogadores do Operário se deitaram no gramado em apoio ao protesto do Barueri
Foto: Marcos Bezerra / Futura Press

Entretanto, não foi apenas a atitude do clube paulista que foi lembrada pelo movimento. A postura dos mato-grossenses, que deitaram no gramado da Arena Barueri, também foi exaltada, entendida como forma de "simbolizar a morte do futebol brasileiro".

Sem receber o pagamento do seu salário na carteira de trabalho nos últimos dois meses e o direito de imagem nos último quatro, o Barueri ainda não pontuou na Quarta Divisão, somando quatro derrotas: além da equipe de Várzea Grande-MT, a Abelha acabou superada por Luziânia-DF (1 a 0), Goianésia-GO (1 a 0) e Tombense-MG (2 a 0).

Camisa 10 do Operário e um dos líderes do Bom Senso, Ruy Cabeção também discorreu sobre o incidente: "Esses jogadores são verdadeiros ídolos do futebol, pois demonstraram caráter e hombridade. Espero que outros tenham vergonha na cara e façam o mesmo. Chega de tanta impunidade no esporte. Espero que o governo interceda com leis severas contra caloteiros e chantagistas. Por isso, presto minhas humildes reverências aos companheiros do Barueri. O futebol clama por ordem".

Diante dos mineiros, na próxima rodada da competição, a permanência da Abelha segue uma incógnita. O duelo está agendado para o dia 22 de agosto, sexta-feira, às 19 horas (de Brasília), também na Arena. Devido ao contexto conturbado, atletas deixaram o clube reclamando do atraso salarial. É o caso do zagueiro André Ribeiro.

Confira a nota exposta pelo movimento na íntegra:

O Bom Senso FC demonstra total apoio à decisão dos atletas do Grêmio Barueri, de não entrar em campo para realização da partida diante do Operário-MT, pela Série D do Campeonato Brasileiro. Os jogadores não recebem o pagamento do seu salário na carteira de trabalho nos últimos dois meses e o direito de imagem nos últimos quatro meses.

Respaldado juridicamente pelo Sindicato dos Atletas de São Paulo, baseado no artigo 32 da Lei 9.615/98, que diz que "É lícito ao atleta profissional recusar competir por entidade de prática desportiva quando seus salários, no todo ou em parte, estiverem atrasados em dois ou mais meses", ficou definido que os profissionais não disputariam o jogo desta noite.

Este é apenas mais um, dentre tantos casos, em que os compromissos firmados em contrato com os profissionais não são cumpridos. Desde já, demonstramos a preocupação e repudiamos qualquer tentativa de represália por parte da direção do Grêmio Barueri aos atletas. O Bom Senso FC se coloca à disposição para todo e qualquer apoio que os jogadores necessitarem.

O movimento também parabeniza a postura dos jogadores do Operário-MT, que deitaram no gramado, sabendo que o jogo não ocorreria, como forma de simbolizar a "morte" do futebol brasileiro.

Esta atitude dos atletas do Barueri reforça e respalda ainda mais as bandeiras que o Bom Senso FC defende desde o seu surgimento, principalmente a preocupação com os clubes de divisões inferiores ou aqueles que contam apenas com três a quatro meses de calendário.

Seguimos a luta pela melhora do futebol brasileiro. Esperamos que todos envolvidos com o esporte mais consagrado do nosso país finalmente ABRAM OS OLHOS e COLABOREM para mudar a realidade. Hoje estamos abaixo do fundo do poço, e cada dia cavando mais para baixo.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
  • separator
  • comentários
publicidade