0
Logo do Olimpíada 2016
Foto: terra

Olimpíada 2016

Os anunciantes aqui reunidos não possuem relação com os Jogos Rio 2016 e patrocinam apenas este caderno especial.

Administração do Parque Olímpico é entregue ao Ministério do Esporte

23 dez 2016
18h42
  • separator
  • comentários

Nesta sexta-feira, o Parque Olímpico da Barra, que recebeu os Jogos Olímpicos e Paralímpicos do Rio de Janeiro entre agosto e setembro, teve sua administração oficialmente passada ao Governo Federal. O anúncio foi realizado pelo prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, e pelo ministro do Esporte, Leonardo Picciani.

Agora, caberá ao Ministério do Esporte administrar o complexo esportivo, no qual foram investidos R$ 1,2 bilhão. O local integrará o projeto Rede Nacional de Treinamento, que busca a divulgação e realização de diversas modalidades e campeonatos, além da formação e treinamento para atletas e equipes.

Porém, nem todos os locais que receberam disputas durante os Jogos continuarão presentes no Parque Olímpico. A Arena do Futuro, que sediou o handebol, e a Arena Carioca 3, onde foram disputados o taekwondo e a esgrima, serão transformados em escolas municipais do Rio de Janeiro. Além disso, o Estádio Olímpico de Esportes Aquáticos será totalmente desmontado.

Porém, os fãs ainda poderão encontrar inúmeras lembranças dos Jogos. A Via Olímpica foi transformada em uma área de lazer, recebendo inúmeras árvores e alterações para melhor acolher o público. Além disso, foi instalado o  Muro dos Campeões, com todas as medalhas conquistadas na capital carioca, bem como com o nome do país ou o do atleta que a conquistou.

Outros locais passarão por reformas e adaptações, mas o principal intuito é que a população e atletas possam usufruir da grande estrutura que recebeu os Jogos Olímpicos e Paralímpicos, para que sirva como um legado. É isso o que exalta o ministro do Esporte, Leonardo Picciani.

"Essa decisão é o caminho mais adequado. Esses equipamentos estão entre os melhores do País e do mundo para a prática de diversas modalidades. Nosso planejamento é dedicar este espaço para o treinamento de equipes e seleções, atletas de alto rendimento, categorias de base e, também, com projetos de inclusão social e de iniciação, que nos permitirão recrutar e descobrir novos talentos. Os equipamentos pertencem ao povo do Rio e ao povo brasileiro como um todo. Pertencem aos atletas da atual geração e das futuras gerações de todo o Brasil", disse o ministro.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade