2 eventos ao vivo
Logo do Olimpíada 2016
Foto: terra

Olimpíada 2016

Os anunciantes aqui reunidos não possuem relação com os Jogos Rio 2016 e patrocinam apenas este caderno especial.

COI reanalisará urina de russos nos Jogos de Sochi e Londres

9 dez 2016
15h29
atualizado às 15h59
  • separator
  • comentários

O Comitê Olímpico Internacional (COI) voltará a analisar as 254 amostras de urina dos atletas russos que foram colhidas durante as disputas dos Jogos de Inverno de Sochi, em 2014, e dos Jogos de Londres, em 2012.

O COI informou em comunicado, após a divulgação nesta sexta-feira da segunda parte do relatório McLaren, que as 63 reanálises feitas em amostras de sangue de atletas russos nos Jogos de Sochi deram negativo.

"A reanálise de algumas das amostras dos atletas russos colhidas em Londres já está em andamento após os dados revelados pelo professor McLaren ao COI. Onze atletas russos já foram punidos pelo COI como resultado do programa de reanálise, que começou antes dos Jogos do Rio de Janeiro e segue em curso", afirmou.

O órgão presidido por Thomas Bach agradeceu McLaren e sua equipe por ter completado o relatório. O dirigente disse que o documento "mostra que houve um ataque fundamental à integridade dos Jogos Olímpicos e ao esporte em geral".

Thomas Bach, presidente do Comitê Olímpico Internacional
Thomas Bach, presidente do Comitê Olímpico Internacional
Foto: Getty Images

O COI confirmou que continuará a cooperação com Richard McLaren, professor universitário do Canadá e contratado pela Agência Mundial Antidoping para aprofundar uma investigação independente do próprio órgão sobre práticas de doping na Rússia.

No comunicado, o COI afirmou que agora serão as autoridades competentes as que, de acordo às evidências do relatório, poderão decidir se houve violação da legislação antidoping em cada caso de forma individual. Também lembrou que criou duas comissões para "preparar as sanções e medidas apropriadas".

A comissão de investigação, presidida pelo ex-presidente da Suíça, Samuel Schmid, focada na "conspiração institucional que teve participação de atletas e oficiais russos dentro do Ministério de Esportes e a infraestrutura, assim como a agência antidoping (Rusada), o centro de treinamento dos times nacionais e o laboratório de Moscou com a FSB (ex-KGB), em particular em relação aos Jogos de Inverno de Sochi".

A outra é a comissão de disciplina, presidida por Denis Oswald, membro do COI, que aborda o doping e a manipulação de amostras de atletas russos que participaram dos Jogos citados. É esse o órgão responsável por reanalisar todas as amostras dos atletas que participaram de Sochi 2014 para determinar se houve doping.

EFE   

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade