5 eventos ao vivo
Logo do Olimpíada 2016
Foto: terra

Olimpíada 2016

Os anunciantes aqui reunidos não possuem relação com os Jogos Rio 2016 e patrocinam apenas este caderno especial.

Legado de São Paulo 2012 está nos Jogos do Rio 2016

9 mar 2012
10h05
Danilo Vital
Flávio C. D'Almeida

Há 10 anos, São Paulo sonhou em receber a Olimpíada de 2012 e elaborou projeto que acabou fracassado: sequer ganhou a disputa interna com o Rio de Janeiro e terminou esquecido no tempo. Apesar disso, seus efeitos permanecem tão contemporâneos quanto poderiam. Para os envolvidos na tentativa paulistana de ser sede olímpica, o legado ajudou a concretizar a vitória carioca por 2016.

» São Paulo completa 10 anos de sonho olímpico frustrado; relembre
» São Paulo estaria melhor com Olimpíada 2012 do que com Copa 2014
» Em SP, projeto previa Olimpíada descentralizada e reconciliadora

Nádia Campeão e Lars Grael, integrantes do Comitê postulante aos Jogos de 2012, afirmaram categoricamente que o plano paulistano pela Olimpíada era melhor do que o preparado pela capital fluminense. A diferença foi política: sediando em seus domínios o Comitê Olímpico Brasileiro (COB), a maioria das Confederações brasileiras e com a alcunha de cidade turística, o Rio de Janeiro se sobressaiu e venceu. E com a ajuda paulistana, melhorou o planejamento.

"São Paulo fez aquela candidatura e o Rio venceu a disputa interna. Houve certa decepção, mas, passados os anos, a gente pode avaliar que o resultado disso foi saudável. O Rio de Janeiro se sentiu obrigado a apresentar uma candidatura com mais solidez, com compromisso técnico. São Paulo trouxe parâmetros para isso", opinou Lars Grael, que integrou o comitê paulistano quando era secretário de juventude, esporte e lazer do governo estadual de Geraldo Alckmin, do PSDB.

Na época, tucanos e petistas, sob o governo municipal de Marta Suplicy, se uniram, mas foram vencidos pelo Rio de Janeiro. Em 2003, a Cidade Maravilhosa foi derrotada ainda na primeira fase do processo de escolha do Comitê Olímpico Internacional, prova de quão deficitária era a pretensão brasileira. "Na candidatura seguinte, o Rio teve pleno amparo municipal, estadual e nacional, conseguiu vencer para 2016. Acho que o legado da candidatura de São Paulo foi bom para o contexto olímpico brasileiro", afirmou Grael.

Para Nádia Campeão, atualmente presidente do PCdoB paulista e, na época, secretária municipal de esportes, São Paulo fez crescer o nível de autocrítica carioca na busca pela Olimpíada. "São Paulo mostrou que tinha um projeto bem elaborado, então o Rio de Janeiro teve que correr atrás", apontou. Ela ainda vê o legado da candidatura estendido à preparação para a Copa do Mundo de 2014.

"Com essa nova arena do Corinthians, São Paulo sediará a Copa do Mundo, e acho que vai sediar bem", elogiou, ao minimizar a perda da Copa das Confederações, que não passará pela capital paulista em 2013. "Tudo isso mostra que aquela candidatura foi precursora", apontou a ex-secretária de esportes. O Rio de Janeiro venceu a disputa para sediar a Olimpíada de 2016 em outubro de 2009, seis anos depois de frustrar o sonho paulistano.

Em contato com a assessoria de imprensa do Comitê Organizador do Jogos de 2016, ficou definido que o presidente do órgão, Carlos Arthur Nuzman, que comanda também o COB há 17 anos, seria a única pessoa adequada a comentar a influência da disputa pela pré-candidatura em 2003. Em compromisso na Suíça, Nuzman não conseguiu atender a reportagem do Terra.

São Paulo elevou nível de disputa pelos Jogos Olímpicos ao se candidatara em 2002
São Paulo elevou nível de disputa pelos Jogos Olímpicos ao se candidatara em 2002
Foto: Marcelo Ferrelli / Gazeta Press
Fonte: Terra

compartilhe

publicidade
publicidade