2 eventos ao vivo

Olimpíada: alemães votam 'não' e Hamburgo retira candidatura

30 nov 2015
12h31
  • separator
  • comentários

O povo alemão não gostou da ideia de sediar os Jogos Olímpicos de 2024. Em referendo realizado no domingo, 51,7% da população de Hamburgo votou contra a realização da competição global na cidade e obrigou as autoridades a retirar a candidatura junto ao Comitê Olímpico Internacional (COI).

“Hamburgo não receberá os Jogos Olímpicos e Paralímpicos. Eu teria preferido uma decisão diferente, mas o resultado foi claro, e temos que aceitá-lo”, lamentou o prefeito Olaf Scholz.

Em referendo realizado no domingo, 51,7% da população de Hamburgo votou contra a realização da competição global na cidade e obrigou as autoridades a retirar a candidatura junto ao Comitê Olímpico Internacional (COI)
Em referendo realizado no domingo, 51,7% da população de Hamburgo votou contra a realização da competição global na cidade e obrigou as autoridades a retirar a candidatura junto ao Comitê Olímpico Internacional (COI)
Foto: Getty Images

As demais cidades postulantes são Paris (França), Roma (Itália), Budapeste (Hungria) e Los Angeles (Estados Unidos). A vencedora será anunciada em setembro de 2017. A cidade californiana entrou na disputa em julho, quando a prefeitura de Boston, a exemplo de Hamburgo, desistiu de sediar os Jogos quando percebeu que não contava com apoio majoritário da população.

Após o sucesso nos Jogos Pan-Americanos de 2015, Toronto, no Canadá, também abriu mão das Olimpíadas devido aos altos custos e à falta de apoio das autoridades locais.

No início do ano, o Comitê Olímpico da Alemanha (DOSB) escolheu Hamburgo por acreditar que a cidade mais condições de reunir apoio que a capital Berlim. Não é novidade, contudo, uma cidade alemã rejeitando a candidatura olímpica. Há dois anos, o povo de Munique abriu mão de concorrer à sede dos Jogos de Inverno de 2022. Mesmo sem neve, Pequim, no Japão, foi a opção eleita pelo COI.

Fonte: Gazeta Press

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade