0
Logo do Palmeiras
Foto: terra

Palmeiras

100 anos no Parque dos Sonhos: O primeiro jogo, o primeiro baile

Há exatos cem anos, Verdão jogava no terreno de sua casa pela primeira vez. LANCE! resgata detalhes da partida. Duelo teve quatro gols de atacante histórico

21 abr 2017
00h03
atualizado às 11h37
  • separator
  • comentários


Cem anos de história, 1684 jogos no mesmo solo, um chão sagrado para o torcedor alviverde. Nesta sexta-feira, completa-se um século do primeiro jogo do Palmeiras no terreno de sua casa amada, onde atualmente está o Allianz Parque. No dia 21 de abril de 1917, um sábado, o Verdão - ainda como Palestra Itália - atropelou o Sport Club Internacional-SP por 5 a 1, em jogo válido pela primeira rodada do Campeonato Paulista daquele ano, no Parque Antarctica. Curiosamente, o SC Internacional foi, anos depois, incorporado pelo São Paulo.

Existem poucos relatos sobre este jogo, que hoje é histórico, mas na época foi noticiado de forma pequena pelos jornais. Para celebrar a data centenária, o LANCE! reconstrói a primeira partida - e primeira alegria - do Verdão no seu lar.

GALERIA: O PARQUE ANTARCTICA EM IMAGENS

[[GAL:2]]

CONTEXTUALIZANDO O DUELO

Mandante no jogo, o Palestra havia sido fundado em 1914, e desde então vinha procurando um campo com boas condições. Em 1917, surgiu a oportunidade de alugar o campo do Parque Antarctica (em história que contamos com detalhes aqui). O Parque Antarctica, inaugurado em 1902, com arquibancada de madeira, foi o primeiro estádio no terreno do atual Allianz Parque.

Já como locatário do Parque Antarctica, que seria comprado pelo próprio Palestra em 1920, o clube marcou o primeiro jogo do Campeonato Paulista de 1917 para o local. Era só a segunda vez do Palestra disputando o Paulista. Fundado por imigrantes italianos, o clube ainda estava começando a construir sua fama. Em 1916, ficou apenas em sexto entre sete clubes que disputaram o Paulista organizado pela Associação Paulista de Esportes Atléticos.

O adversário do Palestra era o tradicional Sport Club Internacional, fundado em 1899, e um dos seis participantes do primeiro Campeonato Paulista, em 1902. O clube tinha sido campeão paulista em 1907 (seria também em 1928), mas vinha em momento complicado para o Paulista de 1917. Em 1916, o Inter-SP tinha terminado o Paulista organizado pela Liga Paulista de Foot-Ball na péssima 13ª colocação entre 14 clubes. Para 1917, os campeonatos da Associação Paulista de Esportes Atléticos e da Liga Paulista de Foot-Ball se unificaram, gerando uma enorme expectativa para aquele novo Paulistão.

UM SHOW DO PALESTRA

O jogo pelo Paulistão, que era de pontos corridos, foi um massacre palestrino. O atacante Heitor, que até hoje é o maior artilheiro do Palmeiras, com 327 gols, marcou quatro naquele dia. Caetano, outro ídolo da história alviverde, fez um. O Inter só balançou a rede do Palestra uma vez.

Heitor brilhou em jogo histórico (Foto: Reprodução/internet)

A partida acabou em 5 a 1, mas o placar poderia ter sido mais elástico: "Maior não foi a derrota porque a "eleven" italiana encontrou forte resistência no heroico defensor do goal, que foi Barreto", destacou relato da revista "O Pirralho"* de 22 de abril de 1917.

* Apesar do nome curioso para os dias de hoje, a revista semanal "O Pirralho" era uma das publicações mais respeitadas da cidade de São Paulo na época. A revista foi fundada em 1911 por Oswald de Andrade, um dos mais importantes introdutores do Modernismo - movimento cultural que, por sua vez, encontrou seu expoente na Semana de Arte Moderna de 1922.

Revista relata: goleiro impediu placar maior (Reprodução: O Pirralho)

A crônica da revista "O Pirralho" também reservou críticas para o adversário do Palestra Itália: "Todos os jogadores do Internacional, com exceção de Barreto, deram provas cabais de que até agora não tiveram treinos".

Time do Internacional recebeu duras críticas (Reprodução: O Pirralho)

No jornal "O Estado de S. Paulo" de 22 de abril de 1917, o relato da partida também destacou a superioridade do Palestra Itália e as deficiências do Internacional: "O domínio do time italiano sobre o seu adversário patenteou-se desde logo, o que quer dizer que o Internacional precisa fortalecer-se".

Outra curiosidade na crônica do "O Estado de S. Paulo" é a grafia do nome de Heitor como Ettore. Explica-se: era o nome completo do atacante, chamado Ettore Marcelino Domingues. Paulistano nascido no Brás, vindo de família italiana, Ettore virou Heitor com o tempo, pois seu nome foi sendo "aportuguesado" pelas torcidas.

Domínio do Verdão foi destacado (Reprodução: O Estado de S. Paulo)

OS RUMOS DEPOIS DA PARTIDA

O desempenho dos times naquele duelo deu grandes pistas do que viria pela frente. O Palestra Itália terminou o Paulista de 1917 como vice-campeão, atrás somente do Paulistano, grande força da época, que faturou o seu quinto título paulista. Já o SC Internacional acabou em penúltimo, entre nove clubes.

No ano de 1933, em dificuldades financeiras, tendo recebido várias propostas, o SC Internacional acabou optando por se fundir ao Antarctica Futebol Clube, dando origem ao Clube Atlético Paulista, que, por sua vez, fundiu-se ao Clube Atlético Estudantes de São Paulo em 1937, dando origem ao Estudantes-Paulista, que em 1938 foi incorporado pelo São Paulo Futebol Clube.

JOGO HISTÓRICO ATRÁS DE JOGO HISTÓRICO

Depois da goleada sobre o SC Internacional, o próximo jogo do Palestra como mandante seria na terceira rodada, contra um adversário que ele nunca tinha enfrentado: o Corinthians. Em 6 de maio de 1917, data que fará cem anos daqui a alguns dias, o Parque Antarctica foi palco do primeiro Dérbi da história. Deu Palestra, 3 a 0, três gols de Caetano.

FICHA TÉCNICA
PALESTRA ITÁLIA 5 X 1 SC INTERNACIONAL
Campeonato Paulista - 1917

Local: Parque Antarctica, São Paulo (SP)
Data: 21/04/1917
Público/renda: Desconhecidos
Gols: Heitor (4) e Caetano (1), pelo Palmeiras. Cruz (1), pelo Internacional

Palestra Itália: Flosi, Bianco, Grimaldi, Picagli, Bertolini, Arturo Fabbi, Caetano, Ministro, Heitor, Orlando e Martinelli. Técnico: Ludovicco Bacchiani.

SC Internacional: Barreto, Felix, Zeca, Alimare, Joaquim, Gustavo, Almeida, Rodrigues, Cruz, Janeiro e Idoeta. Técnico: Desconhecido.

OS NÚMEROS DO PALMEIRAS NO PARQUE DOS SONHOS

Era Parque Antarctica-Estádio Palestra Itália (1917-2010)
1610 jogos
1089 vitórias
325 empates
196 derrotas
3771 gols marcados
1520 gols sofridos

Era Allianz Parque (desde 2014)
74 jogos
49 vitórias
13 empates
12 derrotas
136 gols marcados
59 gols sofridos

A soma dos cem anos de história
1684 jogos
1138 vitórias
338 empates
208 derrotas
3907 gols marcados
1579 gols sofridos

LANCE!

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade