0

Lutador repete Pequim e leva 2ª medalha da história do Afeganistão

10 ago 2012
09h09
atualizado às 09h16
Allan Farina
Direto de Londres

O Afeganistão é um país que em poucos momentos consegue viver períodos de alegria e tranquilidade. Das invasões soviéticas na década de 1980 ao domínio talibã posterior, a nação atualmente lida com a presença militar americana desde os atentados terrorista ao World Trade Center em 2001. Há alguns, entretanto, que conseguem trazer alegria ao povo afegão. É o caso de Rohullah Nikpai.

» Veja as mais belas atletas, torcedoras e cheerleaders de Londres 2012
» Vote na maior decepção brasileira nos Jogos de Londres
» Escolha o esporte e assista aos vídeos da Olimpíada de Londres
» Saiba tudo sobre os medalhistas do Brasil em Londres
» Confira a programação de ao vivo do Terra
» Veja a agenda e resultados dos Jogos de Londres

O atleta pode não ter ouros em sua carreira, mas suas medalhas valem muito. O lutador de 25 anos conquistou em Pequim o bronze da categoria até 58 kg do taekwondo, a primeira medalha olímpica da história de seu país. Na Olimpíada de Londres ele repetiu a dose: novo terceiro lugar, desta vez no peso até 68 kg, obtido na última quinta-feira.

O atleta aprendeu taekwondo quando morou com membros de sua família em um campo de refugiados no Irã, país com tradição na modalidade. De volta ao Afeganistão, Nikpai chegou a trabalhar como cabeleireiro para poder se manter. Sua vida mudou após sua primeira medalha - ele recebeu uma ligação do presidente Hamid Karzai e ganhou dinheiro, um carro e um apartamento.

"A medalha é muito importante para nós. Estamos em guerra e nós atletas gostamos de buscar a paz por meio do esporte. Queremos unir toda a nação com o esporte e isso me deixa muito feliz", disse Nikpai ao Terra logo após garantir o bronze.

O lutador deixou a arena do taekwondo radiante com sua vitória sobre o britânico Martin Stamper, resultado que entristeceu a torcida da casa, maioria na arena ExCel. Entretanto, a vitória de Nikpai deixou um grupo de torcedores afegãos extasiados. Os fãs ficaram do lado de fora dos vestiários esperando a saída do ídolo e divertiram a segurança do setor com sua animação.

Enquanto isso, Nikpai aproveitava seu novo momento de glória. E ele quer alcançar o topo do pódio no Rio de Janeiro. "Estou muito contente de fazer parte da Olimpíada. Isso é devido ao trabalho dos nossos treinadores. Queria vir aqui e conquistar o ouro, mas obviamente estou muito feliz com o bronze. No futuro tentarei o ouro. Seria ótimo ir para os Jogos do Rio, quero fazer parte disso", avisou o afegão.

Rohullah Nikpai ratificou o status de grande herói olímpico do Afeganistão
Rohullah Nikpai ratificou o status de grande herói olímpico do Afeganistão
Foto: Bruno Santos / Terra
Fonte: Terra

compartilhe

publicidade
publicidade