0
MMA

Anderson Silva: biografia, maiores lutas, vídeos, UFC e mais

31 mar 2015
19h27
atualizado em 6/4/2015 às 15h19
  • separator
  • comentários

Nem mesmo o recente caso de doping e as seguidas derrotas para Chris Weidman serão capazes de apagar a história que Anderson Silva estrelou nos octógonos de artes marciais mistas (MMA). Considerado um dos maiores lutadores de todos os tempos, Anderson Silva conquistou 17 vitórias seguidas, sendo dez defesas de cinturão e até hoje é o dono da maior sequência de triunfos e de títulos defendidos do UFC.

Anderson Silva vibra com vitória sobre Nick Diaz no UFC 183
Anderson Silva vibra com vitória sobre Nick Diaz no UFC 183
Foto: Steve Marcus / Zuffa LLC / Getty Images

Como tudo começou...

Nascido em São Paulo em 14 de abril de 1975, Anderson Silva se mudou ainda pequeno para Curitiba, onde começou a treinar taekwondo com apenas cinco anos de idade. Aos 18 já era faixa preta da modalidade e já se arriscava em outras artes marciais, como muay thai e jiu-jitsu, nas quais também alcançou a faixa preta.

O que pouca gente sabe é que, antes dele decidir ganhar a vida como lutador profissional, ele tentou ser jogador de futebol. Anderson foi fazer um teste no Corinthians, seu clube do coração, mas chegou 40 minutos atrasado e perdeu a oportunidade. Naquele mesmo dia, por ironia do destino, foi convidado para treinar na academia de boxe do clube e agradou ao professor. Até parece que seu futuro já estava escrito. 

Primeiros passos no MMA

Já com o apelido de "Aranha", que ganhou em virtude de uma fantasia do Homem-Aranha que tinha quando era criança, Anderson Silva fez sua estreia como profissional nas artes marciais mistas (MMA) aos 22 anos, finalizando seu adversário com um mata-leão no primeiro round no extinto Brazilian Freestyle Circuit. Depois passou pelo Mecca, Shooto, onde conquistou seu primeiro cinturão, até chegar ao famoso Pride. Na competição japonesa não teve muito sucesso e acabou com três vitórias e duas derrotas.

Com moral, Anderson chegou ao Cage Rage já pelo cinturão dos médios e não decepcionou: dominou o britânico Lee Murray e conquistou o título na sua estreia do evento. Fez mais três lutas pela organização, todas em Londres, e saiu vitorioso em todas elas.

Chegada ao UFC e hegemonia no evento

Em 2006, na sua estreia no UFC, Anderson já mostrou porque seria considerado um dos melhores lutadores de todos os tempos. Contra Chris Leben, então invicto na carreira, o brasileiro precisou de apenas 49 segundos derrubar o americano e conquistar o nocaute da noite do UFC Fight Night 5. Depois da luta contra Leben, uma enquete no site do UFC elegeu Rich Franklin, então campeão dos médios, como próximo adversário de Anderson. Os dois se enfrentaram no UFC 64 e, com uma sequência impressionante de joelhadas, Spider nocauteou o americano com pouco mais de três minutos, levando o cinturão.

<p>Anderson Silva levou seu cinturão de campeão dos médios do UFC para o evento no Rio de Janeiro</p>
Anderson Silva levou seu cinturão de campeão dos médios do UFC para o evento no Rio de Janeiro
Foto: EFE

Depois disso vieram mais 14 vitórias seguidas, sendo dez defesas de títulos, que faz ele ser até hoje o dono da maior sequência de vitórias e títulos defendidos no UFC. As lutas foram contra Nate Marquardt, Rich Franklin, Dan Henderson, unificando o cinturão peso-médio do UFC e meio-médio do Pride, Patrick Côté, quebrando o recorde de nocautes\finalizações seguidos no UFC, Thales Leites, Demian Maia, Chael Sonnen, duas vezes, Vitor Belfort e Yushin Okami.

Chael Sonnen, o maior rival

Das dez defesas de cinturão, um adversário foi especial para Anderson Silva. Chael Sonnen, mais conhecido por seu jeito falastrão do que pela habilidade dentro do octógono, pode ser considerado um de seus maiores rivais em toda sua carreira. Eles se encontraram pela primeira vez em agosto de 2010, pelo UFC 117.

Anderson Silva e Chael Sonnen voltam a se enfrentar depois de quase dois anos. No primeiro confronto, o brasileiro, após sofrer por quatro rounds e meio, venceu por finalização
Anderson Silva e Chael Sonnen voltam a se enfrentar depois de quase dois anos. No primeiro confronto, o brasileiro, após sofrer por quatro rounds e meio, venceu por finalização
Foto: Mauro Pimentel / Terra

Em Oakland, na Califórnia, o brasileiro sofreu durante os cinco rounds, sendo considerada a luta em que ele mais apanhou em toda sua carreira. Quando faltavam pouco menos de três minutos para o fim do combate, Anderson encaixou um triângulo espetacular e finalizou o americano. Essa vitória lhe garantiu mais uma defesa de cinturão, luta e finalização da noite, luta do ano e ainda a quebrou o recorde de vitórias seguidas no UFC. 

Nesta luta, Anderson afirmou ter lutado com a costela trincada, contra as recomendações de seu médico. Após a luta foi confirmado que Sonnen testou positivo para substâncias proibidas. Testes de doping revelaram que o americano tinha uma proporção elevada de testosterona no seu corpo.

Anderson Silva x Chael Sonnen
Anderson Silva x Chael Sonnen
Foto: Mauro Pimentel / Terra

Em 2012, após vitórias contra Brian Stann e Michael Bisping, Sonnen conseguiu uma revanche contra o brasileiro. Antes dessa tão esperada luta, o americano abusou nas provocações e chegou a falar mal da mulher do lutador brasileiro, dizendo que arrombaria a porta de trás da sua casa e daria um "tapinha na bunda de sua mulherzinha". Ainda antes do combate, ele também disse que traria na bagagem produtos que não existiam no Brasil, como sabonete e computador.

Dessa vez em Las Vegas, Anderson Silva não teve dificuldades para vencer e acumular mais recordes para sua vitoriosa carreira. No segundo round, Spider acertou uma combinação de golpes que derrubou o americano, sendo finalizado com uma sequência de socos no chão que lhe deram a vitória por nocaute técnico. Além de defender com êxito pela nona vez o cinturão dos médios, ele também quebrou o recorde de mais bônus recebidos no UFC.

8 de julho: após a luta, Anderson Silva cumprimentou Chael Sonnen e ainda o chamou para um churrasco
8 de julho: após a luta, Anderson Silva cumprimentou Chael Sonnen e ainda o chamou para um churrasco
Foto: Mauro Pimentel / Terra

Luta do século

Após se envolver em uma polêmica com doping, Vitor Belfort, um dos grandes nomes do esporte, voltou ao octógono e se credencionou para a luta que seria considerada "do século". Depois de quatro vitórias seguidas, ele teve a chance de enfrentar Anderson Silva, já sendo considerado um dos maiores de todos os tempos, mas ainda sem a fama que tem hoje. O histório duelo ocorreu em fevereiro de 2011. Spider derrubou Belfort com um chute espetacular no primeiro round, o que impulsionou sua fama no Brasil e abriu um espaço gigantesco para o MMA na grande imprensa brasileira.

Foto: Getty Images

Carrasco e grave lesão

Anderson Silva encontrou em 2013 sua primeira pedra no sapato de toda sua carreira no UFC: Chris Weidman. Lutando no MGM, em Las Vegas, o brasileiro não teve muita sorte, perdendo ambas para o americano, o que lhe custou o cinturão dos pesos-médios e o começo de um declínio na sua trajetória.

UFC 162: Chris Weidman derrota Anderson Silva
UFC 162: Chris Weidman derrota Anderson Silva
Foto: Getty Images

Na primeira, no UFC 162, apesar de algumas casas de aposta indicarem vitória do americano, Weidman ainda era o azarão do evento contra o multicampeão Anderson Silva, considerado o melhor de todos os tempos da modalidade. Abusando do seu "estilo provocador" durante a luta, o brasileiro foi acusado de menosprezar o adversário e acabou nocauteado pela primeira vez na história. Mesmo com a derrota, ele ainda recebeu cerca de R$ 1,32 milhão, 12,5 vezes mais que Weidman, que ficou com R$ 105.600.

Anderson Silva fraturou a perna esquerda depois de golpe em Chris Weidman
Anderson Silva fraturou a perna esquerda depois de golpe em Chris Weidman
Foto: Reuters

Como já era de se esperar, Anderson Silva teve direito de revanche contra o novo campeão dos médios em dezembro do mesmo ano. Com menos pressão, os dois se reencontraram no mesmo local e o combate terminou da pior forma possível para o brasileiro. Após perder o primeiro round, Spider arriscou um chute baixo e protagonizou uma das mais chocantes lesões da história do UFC. Com a perna quebrada, o brasileiro foi declarado derrotado e ficou mais de um ano em recuperação.

A luta foi interrompida assim que Anderson caiu no octógono
A luta foi interrompida assim que Anderson caiu no octógono
Foto: Reuters

Retorno ao UFC

Depois de mais um ano afastado do octógono, Anderson Silva voltou ao UFC contra o polêmico Nick Diaz, em Las Vegas, no MGM Grand Garden Arena, mesmo palco de suas derrotas para Chris Weidman. Porém, dessa vez não teve surpresa. Apesar de não dar o show que os torcedores estavam acostumados, o brasileiro não teve trabalho para controlar o americano durante os cinco rounds e garantir uma vitória por decisão unânime dos jurados no UFC 183.

Anderson Silva golpeia Nick Diaz no UFC 183
Anderson Silva golpeia Nick Diaz no UFC 183
Foto: Josh Hedges/Zuffa LLC / Getty Images

Doping: baque na carreira

Defensor declarado do esporte limpo, Anderson Silva sofreu um grande baque na carreira três dias após superar Nick Diaz. Ele foi flagrado no exame antidoping após metabólitos de drostanolona e androsterona serem encontrados em seu exame de sangue, realizado pela Comissão Atlética de Nevada (NSAC).

Apesar de se dizer inocente, Anderson não pediu nenhuma contra-prova e também foi flagrado em um segundo exame antidoping, esse realizado no dia da luta. Com o segundo resultado positivo (o primeiro foi no exame do dia 9 de janeiro), o peso-médio deve ser suspenso por um período que varia de nove meses a dois anos.

UFC: Minotauro e Minotouro defendem Anderson Silva

Carreira de ator

Apesar de dizer publicamente que ainda espera ter cinco anos dentro do octógono, mesmo já tendo 39 anos e estar envolvido no caso de doping, Anderson Silva já se prepara para quando tiver que pendurar as luvas: quer ser ator.

Anderson atualmente conta com alguns trabalhos em sua filmografia, quase todos relacionados de alguma forma ao mundo das artes marciais. Além do elogiado documentário sobre sua primeira luta contra Chael Sonnenn “Como água” (2011), em que não necessariamente participa atuando, Anderson esteve nos longas “Tapped Out” (2014), “Jogo Mortal” (2009) e “Hell’s Chain” (2009), em que contracenou com os também lutadores Lyoto Machida, Georges St. Pirre, Quinton Rampage Jackson, Heath Herring, entre outros. O ex-campeão também fez uma participação especial em “Até que a Sorte nos Separe 2″, estrelado pelo humorista Leandro Hassum, e gravou recentemente seu primeiro papel dramático no romance “Monday Nights at Seven”, ainda sem data oficial para lançamento.

Anderson Silva escala um carro imitando o Homem-Aranha
Fonte: Terra
  • separator
  • comentários
publicidade