2 eventos ao vivo

Zé Roberto arrepia em preleção com "Edmundo é animal"

31 jan 2015
20h41
atualizado às 20h51
  • separator
  • 0
  • comentários

O Palmeiras vencia por 3 a 0 já aos 35 minutos do primeiro tempo e ainda perdia chances claras. Mas o segredo da disposição do time em campo na vitória sobre o Grêmio Osasco Audax, neste sábado, não foi só o fruto dos treinos. O capitão Zé Roberto deixou os colegas arrepiados na preleção, quando ressaltou a grandeza do clube e até entoou o coro em referência a Edmundo, ídolo do esquadrão alviverde nos anos 1990.

"Não posso esconder o que aconteceu ali dentro. Entramos atrasados porque o Zé Roberto fez um discurso contagiante. Fiquei arrepiado o jogo todo quando vi o reflexo daquilo em campo. Ele foi fundamental", relatou Oswaldo de Oliveira. Jogadores saíram dos vestiários do Allianz Parque depois do jogo ainda emocionados com as palavras do veterano.

<p>Capitão palmeirense inspirou colegas antes do jogo deste sábado</p>
Capitão palmeirense inspirou colegas antes do jogo deste sábado
Foto: Fernando Dantas / Gazeta Press

"Nosso vestiário tem muitas fotos de conquista e vi no olhar de cada atleta que muitos querem estar com sua imagem também pregada na parede. Hoje, iniciou um trabalho para ir em busca desse objetivo. Somos um exército que está se levantando para uma guerra. Quando se luta uma guerra, é por um objetivo, e o nosso é muito claro: o Campeonato Paulista", contou Zé Roberto.

"Quando eu vinha jogar contra o Palmeiras, chamava muita atenção no estádio que a torcida gritava o nome de todos os jogadores e o último era o do Edmundo. A torcida incendiava o estádio com o coro ‘au, au, au Edmundo é animal’ porque era um jogador muito identificado com o clube pela raça. Nós nos espelhamos nele para que esse espírito guerreiro possa aflorar em nós, jogadores que iniciamos um trabalho para entrar na história desse clube", prosseguiu.

Zé Roberto desperta a admiração de Oswaldo de Oliveira não só pela sua capacidade técnica ainda aos 40 anos, mesmo jogando na lateral esquerda. O técnico se anima com a liderança do veterano, que espera ter inspirado seus colegas com o discurso de sábado para fazer o Palmeiras voltar a ser campeão com frequência.

"Sinceramente, foram palavras que saíram do meu coração. A primeira palavra que me lembro e serviu foi de um grito de guerra que vai servir de parâmetro pro nosso trabalho: o Palmeiras é grande. Iniciamos nosso discurso assim e vamos terminar assim. Fica na lembrança o que vai prevalecer no decorrer do nosso trabalho: perseverança, dedicação e empenho. Foi o que tivemos hoje", comemorou.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade