PUBLICIDADE
Logo do

Ponte Preta

Meu time

Jorginho tem algumas dúvidas para definir a Ponte Preta

8 out 2013 14h19
| atualizado às 14h19
ver comentários
Publicidade

A Ponte Preta vai realizar apenas um treinamento antes da partida desta quarta-feira, contra o Atlético-MG, no Estádio Moisés Lucarelli, pela 27ª rodada do Campeonato Brasileiro. Sem poder contar com três jogadores, o técnico Jorginho ainda tem algumas dúvidas em relação ao time que vai entrar em campo. Dúvidas essas que serão tiradas após o trabalho marcado para essa tarde.

O lateral-direito Artur e o meia Chiquinho não se recuperaram de lesões musculares e seguem vetados pelo departamento médico. Outro desfalque é o meia Fellipe Bastos, que recebeu o terceiro cartão amarelo no empate com o Bahia, por 1 a 1, e cumpre suspensão automática.

Na lateral-direita, existe a possibilidade de Jorginho improvisar o zagueiro César, já que Regis foi muito mal diante do Bahia e deve perder a posição. A grande indefinição está em quem vai assumir a vaga de Fellipe Bastos. Fernando e Fernando Bob são opções mais defensivas, mas, pelo fato da partida ser em Campinas e da Ponte precisar da vitória, Elias tem chances de começar jogando.

Para o confronto contra o Atlético-MG, a diretoria alvinegra fez mais uma promoção e colocou os ingressos a R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia). Torcedor com a camisa da Ponte Preta paga meia-entrada. A expectativa é mais uma vez de casa cheia, assim como vem acontecendo nas últimas rodadas. O atacante Rildo destacou a importância da torcida comparecer em bom número ao Majestoso e empurrar o time.

"É um jogo de extrema importância para a equipe. Necessitamos muito do apoio do nosso torcedor. Eles sabem do diferencial que fazem no Moisés e contamos com a presença da massa alvinegra. De nossa parte todos podem esperar muito empenho. Estamos nos dedicando ao máximo. Queremos sair dessa situação e vamos todos juntos sair dela", afirmou o atacante.

Sem vencer há três jogos no Brasileiro – derrotas para Atlético-MG e Náutico e empate com o Bahia -, a Ponte está em situação delicada. Na penúltima colocação, o time tem sete pontos a menos que o São Paulo (23 contra 30), primeiro fora da zona de rebaixamento.

Fonte: André Regi Esmeriz - Especial para o Terra André Regi Esmeriz - Especial para o Terra
Publicidade
Publicidade