PUBLICIDADE
Logo do

São Paulo

Meu time

São Paulo é goleado pelo Audax e cai nas quartas do Paulista

17 abr 2016
20h26 atualizado às 20h33
0comentários
20h26 atualizado às 20h33
Publicidade

O São Paulo não soube aproveitar o embalo conquistado pela grande vitória sobre o River Plate no meio de semana, foi irreconhecível na noite deste domingo e levou uma justa goleada por 4 a 1 do Osasco Audax, em partida disputada no estádio José Liberatti. Com gols de Ytalo, duas vezes, Mike e Juninho, os donos da casa supriram facilmente o tento de Calleri e confirmaram pela primeira vez na história uma vaga na semifinal do Campeonato Paulista.

Torcida do São Paulo protestou e mostrou cédulas de dinheiro para o elenco após a derrota
Torcida do São Paulo protestou e mostrou cédulas de dinheiro para o elenco após a derrota
Foto: Ale Vianna/Agência Eleven/Gazetapress

Até antes do embate, os times grandes haviam passado com facilidade sobre seus rivais nas quartas. Depois da partida na Grande São Paulo, a estatística tem que ser contada de uma forma diferente: todos os primeiros colocados em seus grupos dominaram aqueles que se classificaram em segundo. O domínio, além dos gols, teve direito a dribles desconcertantes, bolas na trave e muitos gritos de “olé” dos torcedores.

Com o resultado, o Audax agora espera o resultado de Palmeiras e São Bernardo, que entram em campo nesta segunda-feira, às 21h, no Pacaembu. Caso o Palmeiras se classifique ganhando, os osasquenses encaram o Santos, na Vila Belmiro, na semi. Em caso de empate no tempo normal ou triunfo do Bernô, a equipe de Fernando Diniz enfrenta o Corinthians, em Itaquera.

Os comandados de Bauza agora voltam as suas atenções para a Copa Libertadores da América. Na quinta-feira, a equipe decide sua vida no Grupo 1 e na competição contra o Strongest, às 21h45 (de Brasília), na cidade de La Paz, na Bolívia. Para passar de fase, a equipe precisa segurar ao menos um empate diante do concorrente direto e da altitude de 3.600m da capital boliviana.

Falhas e golaço na etapa inicial

Com nove minutos de bola rolando, Rodrigo Caio perdeu a bola na hora de sair jogando e Ytalo partiu em velocidade. Cara a cara com Denis, pelo lado direito da área, ele chutou forte e o goleiro espalmou. Na sobra, o próprio Ytalo rolou para Juninho, mas o meia encheu o pé em cima do arqueiro são-paulino, que protagonizou mais um milagre.

Acordado pelo susto e com espaço, o Tricolor conseguiu duas boas oportunidades na sequência. Na primeira, Ganso aproveitou falha da defesa e poderia partir em velocidade, mas preferiu tentar um toque por cobertura da intermediária. A batida foi boa e Sidão teve de se esticar todo para mandar a escanteio. Depois, Rodrigo Caio subiu mais alto que a defesa em cruzamento de Bruno, só que cabeceou à direita do gol.

Ytalo carregou a bola após erro de Lugano na defesa e tentou um chute de fora da área. A bola desviou em Rodrigo Caio e enganou Denis, que não conseguiu chegar a tempo no seu canto esquerdo. A empolgação, porém, não durou muito tempo. No segundo erro crasso na saída de bola, Bruno Silva tentou driblar Michel Bastos, mas foi desarmado pelo meia. A bola ficou para Calleri, que carregou até a pequena área, viu o goleiro embaixo da trave, e só tocou por baixo das pernas de Sidão.

Quando parecia que o Tricolor ia retomar o controle do jogo, o Audax mostrou uma carta que ainda não havia aparecido. Sidão praticou linda defesa em finalização de Calleri, dentro da área, e deu a segurança necessária para os osasquenses retrucarem. Após troca de passes no meio-campo, Tchê Tchê perceu Lugano e Rodrigo Caio em linha, bastante adiantados. Ytalo correu no espaço entre os dois defensores e, na entrada da área, conseguiu chutar de primeira, sem deixar a bola cair, marcando um belo gol.

Gol rápido e Tricolor na roda

Na volta para a etapa final, outra arma dos donos da casa apareceu: a bola parada. Em nova descida rápida do ataque, com passes curtos, Juninho acabou derrubado por Hudson na entrada da área. Tchê Tchê foi para a cobrança e acertou o pé da trave direita de Denis, que ainda encostou na bola. No rebote, a zaga parou e Mike, sozinho, tocou de canhota para ampliar a vantagem logo aos cinco minutos.

A desvantagem fez com que o Tricolor se desarrumasse ainda mais na defesa, na ânsia pela reação. Mantendo seu toque de bola, o time da casa só correu risco quando a bola caiu nos pés de Sidão. Mesmo arriscando menos na saída de bola, ele quase entregou o segundo do São Paulo ao dar passe para Hudson, mas o volante demorou a tocar para Calleri e perdeu uma chance de ouro.

Do outro lado, o Audax abusava da confiança para seguir com seu estilo e não aceitar a pressão são-paulina. Mike, Juninho e Tchê Tchê coordenaram as triangulações e mantiveram o perigo quase sempre longe do gol osasquense. E foi com a confiança para jogar que o Audax transformou a vitória em justa goleada. Boa jogada de Bruno Paulo pela esquerda, na saída de bola. O meia lançou para Mike, nas costas de Mena, que invadiu a área e cortou o lateral antes de bater. Denis deu rebote e Juninho, livre, colocou para a rede.

Depois do quarto gol, os donos da casa praticamente só deixaram o tempo passar frente a um adversário completamente batido. Enfeitando em alguns lances, quase entregou o segundo em lances de Alan Kardec e Thiago Mendes, mas os são-paulinos nem sequer conseguiram diminuir a desvantagem.

FICHA TÉCNICA:

GRÊMIO OSASCO AUDAX 4 X 1 SÃO PAULO

Local: Estádio Prefeito José Liberatti, em Osasco (SP)

Data: 17 de abril de 2016, domingo

Horário: 18h30 (de Brasília)

Árbitro: José Claudio Rocha Filho (SP)

Auxiliares: Daniel Paulo Ziolli e Risser Jarussi Corrêa (ambos de SP)

Público: 7.920 pagantes

Renda: R$ 327.050,00

Cartões amarelos: Thiago Mendes e Alan Kardec (São Paulo)

Gols:

OSASCO AUDAX: Ytalo, aos 27 e 42 minutos do primeiro tempo, Mike, aos cinco, Juninho, aos 25 minutos do segundo tempo

SÃO PAULO: Calleri, aos 36 minutos do primeiro tempo

GRÊMIO OSASCO AUDAX: Sidão; Yuri, Bruno Silva (Bruno Lima), André Castro e Velicka; Tchê Tchê (Felipe Rodrigues), Camacho (Maurício), Juninho e Mike; Ytalo e Bruno Paulo

Técnico: Fernando Diniz

SÃO PAULO: Denis; Bruno, Lugano, Rodrigo Caio e Mena; Hudson (Wesley), Thiago Mendes, Kelvin (Centurión), Ganso e Michel Bastos (Alan Kardec); Calleri

Técnico: Edgardo Bauza

 

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
Publicidade
Publicidade