0

Schweinsteiger discorda da Fifa ao dar bola de ouro a Messi

13 jul 2014
22h35
atualizado às 23h26
  • separator
  • 0
  • comentários

Campeão do mundo, o meio-campista alemão Bastian Schweinsteiger afirmou neste domingo que discorda da decisão da Fifa por ter escolhido o argentino Lionel Messi como o Bola de Ouro da Copa 2014.

<p>Schweinsteiger minimiza ferimento após choque com Aguero</p>
Schweinsteiger minimiza ferimento após choque com Aguero
Foto: Pedro Ugarte / Reuters

Um dos destaques da conquista do tetra, Schweinsteiger afirmou que um dos colegas campeões, como os indicados Matt Hummels, Toni Kross, Philip Lahm, Thomas Müller, mereciam mais. O camisa 10 argentino foi eleito o melhor do Mundial, apesar de ter perdido a decisão para a Alemanha por 1 a 0, na prorrogação.

"Quando um cara ganha você tem de ter respeito. Mas tenho uma outra opinião", disse. "Quando vejo caras como Müller, Neuer, Lahm, eles fizeram um incrível torneio. Eles tinham de ganhar, mas acho que ganharam o mais importante", completou.

Na prorrogação, o camisa 7 ficou revoltado após ser atingido no rosto pelo argentino Sergio Aguero. O juiz italiano Nicola Rizzoli não puniu o atacante rival, oq ue gerou revolta nos alemães.

"Isso (ferimento no rosto) não é nada. Tenho a coisa dourada. A coisa mais importante e meu corpo está inteiro", brincou o jogador alemão ao se referir a sonhada taça da Copa do Mundo.

O jogador ainda aproveitou para fazer uma ode ao povo brasileiro e para exaltar a Seleção, derrotada de forma vexatória pela própria Alemanha por 7 a 1, na semifinal.

"Eu quero dizer algo para o time também. Brasil é um grande país do futebol. Chegaram à semi. Sei que os jogadores não estão felizes depois da nossa vitória e depois de ontem (derrota por 3 a 0 para a Holanda, pela disputa do terceiro lugar). Para nós foi incrível, pessoas maravilhosas, demonstraram tanto respeito. Jogamos hoje para os brasileiros também. Sei que é diferente um Brasil x Argentina. Jogamos para esse público. Foi um torneio incrível, não só pelo titulo, mas pelas pessoas".

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade