PUBLICIDADE

Cafu defende Thiago Silva, mas pede Seleção mais racional

3 jul 2014
07h34 atualizado às 07h35
0comentários
07h34 atualizado às 07h35
Publicidade
Capitão, Thiago Silva se isolou antes das cobranças de pênalti
Capitão, Thiago Silva se isolou antes das cobranças de pênalti
Foto: Vanderlei Almeida / AFP

Cafu é o jogador que mais vezes vestiu a camisa da Seleção Brasileira: 149 jogos. Ele foi também capitão na conquista da Copa do Mundo de 2002 e vestiu a braçadeira no Mundial de 2006. O ex-lateral direito sabe falar como poucos da responsabilidade de jogar pelo Brasil e ser capitão da equipe nacional.

Quer acompanhar as notícias e jogos da sua seleção? Baixe nosso app. #TerraFutebol

O atual dono da braçadeira da Seleção é o zagueiro Thiago Silva, que recebeu críticas por sua postura durante a disputa por pênaltis contra o Chile, pelas oitavas de final da Copa do Mundo. Enquanto os jogadores se concentravam para as penalidades, o defensor ficou afastado e chorando.

Apesar dos comentários contrários à postura de Thiago Silva, Cafu defendeu seu sucessor no cargo de capitão da Seleção. "Acho uma atitude normal. Cada capitão ou pessoa reage de um maneira. A maneira que o Thiago resolveu reagir foi daquela maneira, sentou na bola, chorou. Mas o importante é que o grupo confia nele, no caráter dele. Temos que fazer o que cada um sabe de melhor. Ele achou que naquele momento o melhor seria se isolar", afirmou Cafu após participação no III Seminário de Gestão Esportiva FGV.

<p>Cafu foi capitão do na conquista do penta em 2002</p>
Cafu foi capitão do na conquista do penta em 2002
Foto: Getty Images

A definição do ex-jogador para o que é o dever de um capitão, entretanto, não condiz muito com o que Thiago Silva fez, apesar da defesa feita pelo ex-camisa 2. "Um capitão é o equilíbrio da equipe. É o defensor dos atletas perante treinador, imprensa, é o elo, a porta que se abre entre as pessoas. Tem que ter pulso firme mesmo, a voz da autoridade, para ser respeitado", disse Cafu.

O ex-lateral direito ainda avisou que a Seleção precisa controlar o lado emocional durante a Copa, para que isto não interfira dentro de campo. "A emoção temos que saber controlar. Às vezes em campo você tem que agir com a razão e não com a emoção. Um pouco menos de emoção e mais de razão é bom", explicou.

O Brasil enfrenta na próxima sexta-feira a Colômbia em duelo pelas quartas de final da Copa, às 17h, no Castelão. Cafu confia na classificação da Seleção, mas prevê dificuldades. "Acredito que a Seleção vai crescer gradualmente na competição.

A responsabilidade agora é da Seleção Brasileira, então a Colômbia vai ser uma franco-atiradora. Além de ter grandes jogadores, tem essa dificuldade da responsabilidade da Seleção ser maior", ponderou.

Fonte: Terra
Publicidade
Publicidade