0
Logo do Atlético-GO
Foto: terra

Atlético-GO

Atlético-GO: presidente réu por homicídio enfrenta boicote

6 jan 2015
17h38
atualizado às 18h11
  • separator
  • comentários

A aclamação de Maurício Sampaio como novo presidente executivo do Atlético-GO sacudiu o futebol goiano e divide opiniões. Enquanto a maior parte da torcida rubro-negra comemora, parte da imprensa e da sociedade goiana mostra insatisfação. Sujeito de personalidade forte, Maurício Sampaio disse que assumiu a condição por amor ao clube e confia que será inocentado do crime em que é acusado: ser mandante do assassinato do cronista esportivo Valério Luiz em 2012.

Sampaio é acusado de mandar matar jornalista que o criticou
Sampaio é acusado de mandar matar jornalista que o criticou
Foto: Terra

Além de conduzir várias empresas em Goiânia, Sampaio também era tabelião de um importante cartório da capital. Com bom poder aquisitivo, o empresário sempre ajudou o Atlético-GO. Apesar de sua posição social, Maurício Sampaio é querido pela torcida atleticana por fazer questão de se misturar a eles.

Era hábito do dirigente assistir aos jogos colado no alambrado do campo do Estádio Antônio Accioly, casa rubro-negra encravada no Bairro de Campinas, tradicional reduto atleticano em Goiânia. A notícia do retorno de Maurício foi recebida com festa pelos torcedores, muitos estiveram presentes na assembleia extraordinária da aclamação dele como novo presidente do clube.

“Aprendi a amar a torcida, que sempre foi muito benevolente comigo. Vejo muitos aqui que sentávamos com eles nas arquibancadas e fico feliz que estão me dando esse apoio. Minha vida não tem sido fácil e onde estive (prisão) sempre recebia notícias de que a torcida calorosamente me apoiava. Quero agradecer a todos”, declarou Maurício Sampaio em sua aclamação.

Ao lado de Jovair Arantes e Valdivino de Oliveira, Maurício Sampaio trabalhou para que o Atlético-GO melhorasse sua estrutura física e também participou do melhor momento do clube em sua história: o bicampeonato estadual (2010 e 2011), além da participação na Série A por três anos seguidos, apesar de estar afastado do clube em 2012.

Se perante os rubro-negros o clima é de uma nova esperança para dias melhores, do outro está a indignação pela nomeação de Maurício Sampaio. Veículos de imprensa ligados a Valério Luiz vão boicotar a cobertura do Atlético-GO. Além das emissoras de TV e de rádio em que Valério trabalhava, a equipe de esportes chefiada por Mané de Oliveira (PSDB), pai de Valério, também anunciou que não vai cobrir o clube.

As emissoras em que Valério Luiz era comentarista estavam proibidas de entrar nas dependências do clube quando ele foi assassinado. O inquérito policial aponta Maurício Sampaio como mandante do crime. A motivação seria as duras críticas feitas pelo cronista contra a diretoria atleticana.

Maurício Sampaio nega as acusações e diz ser inocente no caso. No último mês de agosto, a justiça goiana decidiu que o novo presidente do Atlético-GO vai a júri popular com os outros quatro acusados de participação no crime (Urbano de Carvalho Malta, Marcus Vinícius Pereira Xavier e Djalma da Silva e Ademá Figueredo, sendo que este seria o autor dos disparos) depois de denúncia do Ministério Público de Goiás. Ainda não há data para o julgamento. Após a sua aclamação, Sampaio afirmou que vai saber separar seus problemas particulares com a vida do clube.

Em entrevista à ESPN Brasil, o dirigente negou as acusações e minimizou o boicote. "Aqui em Goiânia não existe só três emissoras, é uma cidade que a grande mídia cobre o dia a dia, não que eu esteja me desfaça das outras, de forma alguma. Eu sei da minha inocência, fui aclamado em uma situação em que a torcida me apoia. Tenho uma história dentro desse clube, é o clube que eu gosto, então não vou abandonar minha vida por uma acusação que julgo leviana", afirmou.

O clima no CCT do Urias Magalhães é de euforia por um lado, mas de muita tensão também. Enquanto o crime não é esclarecido, o Atlético-GO tenta pensar apenas no futebol e espera que sua imagem como instituição tradicional seja preservada - o Atlético-GO é o clube mais antigo da cidade. O rubro-negro tenta manter o título de campeão estadual e retornar à elite do futebol brasileiro, dentro deste turbilhão que significou o retorno de Maurício ao clube.

Confira o manifesto do deputado Mané de Oliveira, pai de Valério Luiz:

A imoralidade desta eleição para o Atlético-GO não ficará sem resposta. A primeira providência será o corte da cobertura do Atlético-GO por parte da Equipe do Mané (TV Brasil Central), da Rádio 820 AM e da PUC-TV; providência que tomo -com muito pesar, sendo eu um torcedor do Dragão Campineiro.

Outras providências, principalmente no que concerne a acionar companheiros da imprensa pelo País, serão tomadas. Além disso, é claro, o "Caso Valério" será acompanhado com mais rigor do que nunca no Forum. Veja, Poder Judiciário, os constrangimentos gerados pela lentidão dos processos!

Também me enche de tristeza ver legisladores como Jovair Arantes e Santana participando de uma aclamação de moralidade no mínimo questionável. De qualquer forma, ainda provaremos que, conforme disse meu filho Valério, "o tempo é o senhor da razão".

Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade