0

Contra elefante-branco, MT deve terceirizar Arena Pantanal

3 abr 2014
10h34
  • separator
  • comentários

A Arena Pantanal, em Cuiabá (MT), que recebeu pela primeira vez o público em um jogo-teste na última quarta, deve ser terceirizada após a Copa. Esse é o plano do Governo do Estado de Mato Grosso para impedir que a estrutura não se transforme em um "elefante branco", já que o futebol local não atrai torcedores o suficiente para manter o estádio ativo.

<p>Arena Pantanal recebe jogo Mixto x Santos em teste para a Copa do Mundo de 2014 </p>
Arena Pantanal recebe jogo Mixto x Santos em teste para a Copa do Mundo de 2014
Foto: Edson Rodrigues / Secopa-MT/Divulgação

No último clássico local entre Mixto e Operário, que são os dois times mais tradicionais do Estado, o público não passou de 5 mil pagantes. A arena custou R$ 570 milhões e pode chegar aos R$ 600 milhões até o final da obra com a estrutura provisória, que inclui cestas de lixo entre outros 900 itens.

O governador do Mato Grosso, Silval Barbosa, explicou a situação minutos ante de iniciar o disputa entre Mixto e Santos, pela Copa do Brasil. Ele disse que já há conversas para colocar em prática o plano.

“Nós já estamos discutindo para terceirizar a arena. Pessoas que têm know how e experiência para dar viabilidade ao empreeendimento, porque a estrutura dessa arena foi concebida para ser um espaço multiuso e certamente tem espaço para tudo, para centro de eventos, para centro de festa, para colocar aqui espaço cultural, museu, enfim, só a arena são 109 mil metros quadrados de construção, fora o entorno que são mais de 200 mil metros quadrado, de estacionamento e outras coisas”, afirmou.

“Nós queremos ter Mato Grosso na elite do futebol brasileiro. Já avançamos com a chegada do Luverdense Esporte Clube na segunda divisão. Chamamos os empresários para investir mais e em breve teremos algum time na primeira divisão”, garantiu o governador.

A Secretaria Extraordinária da Copa (Secopa) informa que não tem previsão de custo com a manutenção do estádio. O secretário Maurício Guimarães disse, por meio da assessoria de imprensa, que ainda está sendo feito um estudo para orientar a licitação.

Ao lado do governador estavam também o secretário da Secopa, Maurício Magalhães, e o senador Blairo Maggi (PR) – um dos maiores incentivadores da Copa em Cuiabá. Maggi não vê problemas nas megaobras da Copa.

“Tínhamos uma previsão de gastar R$ 1 bilhão, um chute inicial que demos. O investimento foi menor, mas isso será barato perto de tudo que Cuiabá ganhará durante este período. É legado, está aí”, afirmou.

A inauguração oficial da Arena Pantanal deve ser marcada para entre 15 e 20 de abril. A data certa vai depender da agenda da presidenta Dilma Roussef, que virá para o evento. No dia 26 de abril, haverá outro jogo teste na Arena Pantanal, pela Segunda Divisão do Campeonato Brasileiro. Enfrentam-se Luverdense – time de Mato Grosso em melhor posição no cenário nacional (série B) - e Vasco da Gama.

Fonte: Terra
  • separator
  • comentários
publicidade