0

Palmeiras busca alternativas para jogar sem Cleiton Xavier

29 ago 2009
09h35
atualizado às 09h54

Os jogadores do Palmeiras passaram a semana contabilizando os prejuízos que terão se Cleiton Xavier for vetado no jogo contra o São Paulo, neste domingo. Desde o último sábado, quando torceu o tornozelo direito nos primeiros minutos da vitória sobre o Inter, o meia faz tratamento intensivo, em três períodos. Nem treinou. E o treinador alviverde Muricy Ramalho tenta achar um substituto.

» Luis Fabiano cita Marcos, mas torce pelo São Paulo
» Barueri acerta com meia que estava na França
» Receba os gols do seu time pelo celular
» Veja as últimas do Palmeiras

"Um jogador só faz uma diferença muito grande. Ele é muito importante. Tenho que arrumar um substituto na parte tática, ver quem pode fazer a mesma função ou mudar o esquema de jogo. Tenho uma ideia, mas já que tem essa dúvida com o Cleiton Xavier vou deixar para dizer o time na hora do jogo", anunciou o técnico, mantendo seu tradicional mistério na escalação.

As opções não são tantas e dependem da postura que o comandante quer no seu time. Para não mexer no 4-4-2 que fez os atacantes Obina e Ortigoza funcionarem na última rodada, basta repetir a alteração daquele jogo, com a entrada de Deyvid Sacconi. A mudança simples, porém, é a menos provável. Muricy deve fechar sua equipe no Morumbi.

A tendência é o Palmeiras voltar a atuar com três volantes. Pierre, que retorna de suspensão, ficaria com a vaga de Cleiton Xavier e comporia o trio com Edmilson e Souza, destaque no sábado. Existe também a chance de Marcão, outro que cumpriu gancho, entrar e forçar um 3-5-2.

Nesta alternativa, também é possível que três volantes joguem, com Diego Souza e Obina na frente - Ortigoza seria o sacrificado.

Seja qual for a formação escolhida, todos no Palestra Itália sabem que serão prejudicados. "O Cleiton Xavier é o nosso melhor jogador", definiu Edmilson. "Se perdermos ele, vai ser muito ruim para gente. Tem muita qualidade, é o melhor meia com quem já joguei do lado. É um desfalque grande por tudo que representa, deixa os atletas na frente do gol", completou Diego Souza.

A saída do camisa 10 só não afetaria a marcação alviverde, que ainda não é perfeita na opinião de Edmilson. "O Pierre é mais marcador, rouba mais bolas do que eu e o Souza, mas falta alguma coisa. O Souza tem um grande futuro, mas às vezes fica um pouco desligado do jogo porque falta experiência. Mas a estrutura não muda", analisou o camisa 3.

Com estas interrogações, o Palmeiras realiza na manhã deste sábado seu último treino antes do clássico. Não se sabe nem se Cleiton Xavier terá condições de correr ou dar chutes - tudo depende da evolução da cura de sua lesão.

Os médicos já avisaram que sua escalação é "muito improvável", mas Muricy não desiste. "A situação do Cleiton Xavier não é fácil, mas ele está relacionado. Acredito muito na juventude e às vezes o cara pode surpreender. Vamos esperar. Quem sabe?", indagou.

Meio-campista Cleiton Xavier é o principal armador do Palmeiras
Meio-campista Cleiton Xavier é o principal armador do Palmeiras
Foto: Reinaldo Marques / Terra
Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
publicidade