1 evento ao vivo

No limite, brasileiras encaram Cuba em etapa decisiva do Grand Prix

21 jun 2012
16h42
atualizado em 22/6/2012 às 09h36

A Seleção feminina de vôlei estreia na terceira e última etapa antes da fase final da 20ª edição do Grand Prix diante de Cuba, às 8h30 (de Brasília) desta sexta, em Luohe, na China. No limite da zona de classificação, na sexta colocação, as brasileiras não podem repetir a atuação da última fase, quando cederam a virada para os Estados Unidos, em casa, na última partida do quadrangular e colocaram em risco a ida à etapa final, também disputada em território chinês.

»Escolha quem é a mais bela jogadora do Grand Prix de vôlei

Formando o Grupo K ao lado de Cuba, Porto Rico e da China, o Brasil apenas segue na zona de classificação por conta do bom desempenho das anfitriãs chinesas. Garantida na fase final por sediar a etapa, a China divide a liderança com os Estados Unidos, garantindo à classificação à sexta seleção mais bem colocada, atualmente a posição ocupada pelo Brasil - a fase final é disputada por cinco seleções mais o país-sede.

Atualmente com onze pontos, sete atrás dos líderes Estados Unidos e China, o Brasil tem a posição ameaçada por Japão e Alemanha, com dez e nove pontos, respectivamente. Para a sorte da Seleção, porém, as duas equipes se enfrentarão justamente na terceira e decisiva etapa do Grand Prix, garantindo a saída de uma das duas da briga pela sexta colocação.

Para as brasileiras, porém, três vitórias bastam para garantir a classificação à fase final. Quinta colocada, com 14 pontos, e rival histórica, Cuba é a primeira das três adversárias da Seleção no Grupo K. Apesar de fora dos Jogos Olímpicos de Londres, a equipe segue sendo uma das mais perigosas do Grand Prix.

"Cuba sempre teve no potencial de ataque o seu ponto forte. As ponteiras atacam pelas extremidades e as levantadoras costumam atacar pela saída de rede. Precisamos de um saque forçado para tentar quebrar o passe delas, além de uma boa atenção na marcação de bloqueio", analisa José Roberto Guimarães, treinador brasileiro.

Para alcançar a primeira vitória no quadrangular decisivo, José Roberto Guimarães conta com as voltas da ponteira Fernanda Garay, recuperada de contusão no braço esquerdo sofrida na primeira etapa, na Polônia, e da oposto Tandara, afastada desde a mesma fase.

"Depois de ter ficado uma semana fora estou feliz de estar de volta. Tive uma distensão em um músculo do braço esquerdo, mas não sinto mais dor. Não foi uma lesão grave e dei uma segurada na última etapa para não agravar. Estou recuperada e posso ajudar o grupo nesta fase", garante Garay.

Apesar disso, Guimarães terá problemas para escalar a equipe que inicia a partida contra Cuba. Além da central Juciely e da ponteira Natália, poupadas da etapa, a ponteira Jaqueline sentiu dores no joelho direito em treinamentos desta quinta e virou dúvida para a estreia brasileira.

"A grande preocupação do nosso time é com a Jaqueline, que sentiu o joelho no treino da tarde. Temos que ver como ela vai acordar para saber se terá condição de jogo", revela o técnico.

A terceira fase do Grand Prix será realizada até este domingo, quando serão definidas as cinco equipes que juntam-se à China na etapa final da competição, disputada na cidade de Ningbo entre os dias 27 de junho e 1º de julho.

Com dores, Jaqueline é a preocupação da Seleção Brasileira de vôlei
Com dores, Jaqueline é a preocupação da Seleção Brasileira de vôlei
Foto: Gaspar Nóbrega/Vipcomm / Divulgação
Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
publicidade