PUBLICIDADE
Logo do Coritiba

Coritiba

Favoritar Time

Adeus, Alex - Parte 5: o casamento surpreendente

7 dez 2014 - 11h52
Compartilhar
Exibir comentários
Alex, com 23 anos, Daiane, com 16, casaram no dia 26 de junho de 2000
Alex, com 23 anos, Daiane, com 16, casaram no dia 26 de junho de 2000
Foto: Instagram / Reprodução

Fiel ao Coritiba, no qual recusou propostas e elencos mais vantajosos para encerrar a carreira no time de coração, Alex também é assim fora dos gramado e, principalmente, dentro de casa. É assim que, na semana especial de despedida que o Terra preparou ao craque, falamos da história que "todos imaginavam que não daria certo". Nas palavras de Alex.

Veja ainda

Primeiros passos e início no Coritiba

Idolatria no Palmeiras veio após sua saída

A relação com o ídolo Zico

Documentário e livro em sua despedida

A temporada histórica no Cruzeiro

Um semideus na Turquia

Azar da Copa em não ter visto Alex

A carreira do craque em números

Filha de ex-presidente

O sobrenome da esposa do atleta é conhecido do futebol paranaense. Edson Mauad, ex-presidente do clube paranaense, foi indiretamente responsável pela união entre o casal. Mas, em 1995, quando se conheceram, nada aconteceu entre eles. “Eu vivia muito o Coritiba na época do meu pai. Foi assim. Eu nunca imaginei nada. A gente se conheceu e foi ter alguma coisa dois anos depois”, conta Daiane.

Família reunida em frente à estátua de Alex na Turquia: férias durante mês da Copa do Mundo
Família reunida em frente à estátua de Alex na Turquia: férias durante mês da Copa do Mundo
Foto: Instagram / Reprodução

Em 1997, o “menino de ouro” do Alto da Glória já era destaque. Revelação no acesso à Série A no ano em que foram apresentados, além de dois vices no Campeonato Paranaense, o camisa 10 despertava interesse de grandes clubes. “Eu era a bola da vez naquele momento para ser negociado, para o clube fazer um pouco de dinheiro que o clube precisava. O meu sogro era quem mandava no futebol no momento”, relembra Alex.

A história de amor começou quando o jogador começou a observá-la melhor nos treinamentos em que ela comparecia com seu pai e presidente. “Eu o vi com outros olhos, quando eu percebi que ele me olhava com outros olhos”, garante a esposa. E conviver com família responsável por muitos anos do Coritiba fez Alex aumentar sua paixão pelo clube.

“Conheci melhor a história, como a construção das duas curvas do Couto Pereira pela família Mauad. Eu comecei a conviver com pessoas que conheciam o clube há muito mais tempo com uma outra visão”, destaca o ídolo alviverde.

Assim, não foi difícil conquistar o sogro e conseguir casar com a filha de então apenas 16 anos, no dia 29 de junho de 2000 – cinco anos após se encontrarem pela primeira vez. “Eu sou uma pessoa totalmente liberal, e como eu gostava dele não foi muito difícil de entender e concordar. Felizmente deu muito certo. Ele é hoje meu maior amigo. Parente você tem, amigo você escolhe. O Alex hoje é muito importante para mim”, diz Mauad.

O pai brincalhão

Alex, cercado pelos filhos Maria, Felipe e Antônia, na hora do hino antes do jogo
Alex, cercado pelos filhos Maria, Felipe e Antônia, na hora do hino antes do jogo
Foto: Instagram / Reprodução

“Ele é muito calmo, quieto, mas quieto para os outros. No particular ele é extremamente falador, brincalhão, e ele sempre foi assim”. É assim que Daiane Mauad vê seu marido e exemplo para seus três filhos: Maria, Antônia e Felipe.

A esposa é uma companheira fiel, que seguiu Alex pelos times do Brasil e até na Turquia. Mesmo com a carreira de jogador sendo mais dentro das quatro linhas do que no metro quadrado de casa, não há do que reclamar. “A primeira qualidade dele é o pai que ele é. Ele consegue ser presente até mesmo ausente. Ele é extremamente responsável e ele passa isso aos filhos. Ele é muito carinho e atencioso. Ele se doa em tudo o que faz”, elogia Daiane.

Os elogios não param aí. O sogro, além do convívio natural da família, diz que Alex é tudo isso que falam. E mais um pouco ainda. “Ele tem um bom caráter. Ele é diferenciado nesse sentido. Ele é um menino correto. Extremamente maduro, um ótimo pai”, completa.

No domingo, às 17h, Alex pendura as chuteiras diante do Bahia, no Estádio Couto Pereira. Um certo alívio também para Daiane que, nas palavras de Alex, “está sofrendo e se emocionando com cada dia que passa também”. Algo que a esposa concorda totalmente. “A princípio, espero que ele curta as férias, coisa que ele nunca fez. Passe tempo com os filhos, com a família. Espero que ele tenha tranquilidade”, finaliza.

Fonte: PGTM Comunicação - Especial para o Terra PGTM Comunicação - Especial para o Terra
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade